Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de março de 2015

Resenha do filme "Kingsman: Serviço secreto "

Um filme de espionagem, com toques de Tarantino e anarquia. É assim que podemos definir "Kingsman: Serviço secreto", inspirado nos quadrinhos de Mark illar e Mattew Vaughn, que por sua vez o foi criado após a dupla assistir ao filme de 007 "Cassino Royale".

A história, passada do HQ para à grande tela, acaba por ser um tributo ao agente 007, tão famoso no cinema.
O protagonista da película é Gary "Egsy" Unwin (Taron Egerton), um jovem revoltado e pobre do subúrbio londrino, que descobre a grande chance de sua vida no legado do pai, que era membro da Kingsman - uma agência secreta "particular" de espionagem.  Ele é tutelao por um "cavalheiro", Galahad (Colin Firth). Antes de entrar para a ordem, ele precisa passar por diversos testes, nos quais falha em boa parte deles, mas após um tempo, dá tudo certo.



Vários estereótipos de filmes do gêneros se misturam na película e nenhum personagem atrapalha o outro. Eu destacaria a estabanada Roxy (Sophie Cookson), colega de Gary na agência.

Cabeças explodindo, cenas épicas de luta em igrejas de fanáticos religiosos, clichês de películas de gênero - tudo está ali.

Também merece destaque a grande atuação de Samuel L. Jackson, o grande antagonista e vilão Valentine, que quer causar um apocalipse com chips de telefonia celular (!). Com roupas espalhafatosas, um sotaque hilário e seu jeito único de atuar, é um dos melhores do filme, como na cena da festa do fim do mundo ao som de boa trilha sonora dos anos 70:







Aliás, é bom ressaltar que toda a trilha sonora é muito boa, tocando até Dire Straits.Toda a trama é bem construída, com vários desfechos inesperados, o que torna um dos melhores filmes de 2015.

Sem dúvidas há espaço para várias continuações de Kingsman. O time está montado e o estilo anárquico dessa história de espionagem sem dúvidas diverte.


Trailers:



Nenhum comentário: