Pesquisar este blog

terça-feira, 25 de setembro de 2012

"Ted" leva o espírito de "Family Guy" para o cinema


Seth MacFarlane já mostrou várias vezes que é um gênio da comédia moderna, despudorada e politicamente incorreta no desenho Family Guy (Uma Família da Pesada). Agora, leva  as características do mesmo para o filme "Ted".


Na trama, John é um garoto muito sozinho que ganha de presente de natal  de seus pais um simples ursinho de pelúcia,  com o qual ele quer que seja seu melhor amigo para sempre. Passa então uma estrela cadente e no dia seguinte, o urso agora está vivo, para o pavor dos pais do menino, que se acostumam e acreditam que aquilo foi um milagre de Jesus.


Ted (que é dublado pelo próprio Seth, com a inconfundível voz do cão Brian Griffin de Family Guy) vira celebridade nacional, indo à programas de entrevistas e ganha notoriedade, mas a fama após um tempo passa. Alguns anos depois, quando John (Mark Wahlberg) está com 35 anos, o urso também envelhece sua personalidade, mas não de aparência. Como um ex-astro da TV decadente, ele passa a gastar seu tempo asssitindo filmes antigos como “Flash Gordon” e fumar maconha com seu velho amigo. O problema é que agora seu dono namora Lori (Mila Kunis, a adolescente que ninguém liga Meg, de Family Guy), que está cansada de vê-lo com o ursinho, querendo que ele finalmente se torne um adulto.
Este é o mote das aventuras dos dois protagonistas, com uma mistura no ponto de comédia escrachada (com várias referências à Family Guy e seus personagens), aventura e comédia romântica.
As piadas bizarras nunca acabam, como sexo com ursinhos de pelúcia, referências ao filme tosco dos anos 1980 de Flash Gordon (e sua trilha sonora sensacional do Queen) e toda a sorte de humor indecoroso.

O filme tem um ritmo perfeito, com o casal  Wahlberg e Kunis em uma ótima atuação, com zombarias geniais em torno das celebridades, como a participação da cantora Jorah Jones e Sam J. Jones (o Flash Gordon dos anos 8 0), além de outras surpesas as quais não contarei aqui.
TED é uma comédia dos tempos atuais, do humor politicamente incorreto que realmente é engraçado, ao contrário das porcarias que vemos na TV aberta  brasileira nos dias de hoje.

Trailer:





 Um brinde:

 

Nenhum comentário: